quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

SAÚDE

CALVÍCIE FEMININA

É uma rarefação capilar difusa das áreas temporal, parietal e occipital, iniciando na linha média de repartição dos fios. Há a transformação de um pêlo terminal grosso em velus ( penugem ). É também conhecida como Alopecia Androgenética Feminina ou Padrão Feminino de Perda de cabelos.

Causas
A calvície feminina é tão comum quanto a masculina, porém menos severa e de uma apresentação clínica totalmente diferente. O início é gradual e após a puberdade, porém, com picos de aparecimento na idade entre 30 e 50 anos. Cerca de 25% das mulheres entre 25 e 40 anos e 50% das mulheres acima dos 40 anos, apresentam algum grau de calvície. Assim como na masculina, há também uma predisposição genética autossômica dominante, transmitida por ambos os pais, não somente pelo lado materno. Somente 20% dos casos têm história familiar positiva.

A causa é considerada multi-fatorial, sabendo-se que também ocorre a conversão da testosterona (hormônio masculino que também circula nas mulheres, porém em uma quantidade menor do que a dos homens) para DHT (D-hidrotestosterona), através da enzima 5 alfa redutase. Nas mulheres os andrógenos (hormônios masculinos) são produzidos nas glândulas supra-renais e nos ovários. As mulheres têm 3,5 vezes menos 5 alfa-redutase do que os homens, mas esta enzima também se encontra em maior concentração na região frontal, explicando o início da rarefação capilar neste local.

Na maioria das vezes, não se detectam aumentos hormonais masculinos na corrente sangüínea. O que ocorre é uma sensibilidade dos receptores celulares à DHT, desencadeando o processo de miniaturização dos fios, com diminuição do diâmetro e tamanho da haste dos fios e redução da fase de crescimento dos mesmos.

Os fatores desencadeantes podem ser: desordem hormonal, incluindo início ou interrupção de uso de anticoncepcional, pós-parto e período peri e pós menopausa.

Um outro tipo de alopecia encontrada, é a alopecia traumática, encontrada principalmente nas mulheres que realizam tratamentos químicos, como por exemplo, alisamentos, “rastafáris”, ou penteados que tracionem muito o cabelo. São mais fáceis de serem tratadas, pois com o tratamento adequado, tornam-se reversíveis.

Diagnóstico
Para um diagnóstico preciso da calvície feminina, sempre devemos afastar qualquer outra causa que gere uma queda abrupta de cabelos. As mais comuns são: anemia por deficiência de ferro, dieta alimentar restritiva, doenças da tireóide, alterações hormonais com aumento de hormônios masculinos, início ou interrupção do uso de anticoncepcionais orais, período pós-parto, uso de alguns medicamentos, pós cirúrgicos ou pós estresses. Para isso, a paciente deve ser submetida a uma detalhada história clínica, exame físico e exames laboratoriais. A paciente deve relatar detalhes, mesmo que os considere irrelevante, pois qualquer achado pode ser um diferencial no diagnóstico.

Ao exame clínico não é comum encontrarmos uma área totalmente calva ou entradas, como nos homens. A linha anterior dos cabelos ou a faixa anterior dos cabelos permanece em seu local original. Este fato se dá pela presença de uma enzima chamada aromatase que transforma a testosterona em estradiol (hormônio feminino) e a androstenediona, andrógeno presente em maior concentração na mulher, em estrona (hormônio feminino), protegendo os fios desta região de sofrerem o processo de miniaturização. As mulheres possuem uma concentração de aromatase 6 vezes maior do que os homens. Os hormônios femininos protegem as mulheres da calvície e é pela presença destes hormônios que a apresentação clínica das mulheres é tão diferente da dos homens.

A principal queixa das pacientes do sexo feminino é conseguir ver o couro cabeludo através dos fios de cabelo, quando se olham de frente no espelho. A calvície feminina é classificada em 3 tipos principais segundo Ludwig e em 8 tipos segundo Savin. A classificação é baseada na rarefação capilar que se inicia na linha de repartição dos cabelos e que evolui lateralmente acometendo toda a superfície superior do couro cabeludo.

Tratamento
Uma vez feito o diagnóstico, há 3 possibilidades de tratamento, de acordo com a indicação do médico especialista. O clínico, o cirúrgico, ou a associação de ambos.

O tratamento clínico consiste no uso contínuo de loções capilares, cápsulas de vitaminas específicas, medicamentos anti-hormônios masculinos (quando necessário); shampoo fortificante, e mais recentemente, o Laser de Baixa Potência. Face às fases do ciclo de crescimento dos cabelos, só estamos aptos a saber se o tratamento está ou não sendo eficaz, após um período mínimo de 6 a 8 meses.

O tratamento cirúrgico é a megassessão (maior número possível de fios transplantados em uma única cirurgia, dependendo da densidade e elasticidade da área doadora de cada paciente), especialidade da Clínica Dr. Fernando Basto.

Como pode ocorrer diminuição da densidade capilar também na região occipital, nem sempre as pacientes femininas têm indicação para o transplante de cabelos, pois é deste local que se obtém a faixa de cabelos doadora . Quando há indicação cirúrgica, sempre devemos analisar a densidade e a elasticidade desta área posterior, para fazermos um bom planejamento cirúrgico.

Na maioria dos casos femininos, a quantidade de fios doadores é insuficiente para cobrir toda a área rarefeita. Por isso é muito importante se estabelecer uma área prioritária para a colocação das unidades foliculares, de acordo com o estilo de penteado de cada paciente. Assim sendo, se consegue um efeito cosmético de camuflagem das outras áreas, quando os fios se sobrepõem.

Devemos salientar que mesmo a paciente optando pela cirurgia, ela deve sempre seguir um tratamento clínico pós cirúrgico orientado por nossa equipe. Isto fará com que o resultado cosmético obtido após a cirurgia se prolongue por mais tempo. Caso não haja um acompanhamento clínico, a tendência é da paciente voltar a apresentar uma rarefação capilar com o passar dos anos, pois os fios não transplantados tendem a sofrer o processo da calvície.

No pós operatório pode haver uma pequena queda de cabelos não transplantados. Isto se deve ao fato da paciente ter sido submetida a uma cirurgia, de terem sido feitas milhares de incisões entre os fios de cabelos, de haver micro traumas na circulação sangüínea e do próprio processo de cicatrização. Não há lesão das raízes pré-existentes. Estes cabelos voltam a nascer junto com os fios transplantados. Por isso as pacientes femininas necessitam de um apoio psicológico, com suporte médico, para realizarem este tipo de procedimento. Há necessidade de um acompanhamento pós operatório, para assegurar estas pacientes da evolução natural deste tipo de cirurgia.

Serviço:
Dr. Fernando Basto - Cirurgião Plástico
Rua Alberto Paiva, 349 - Graças, Recife - PE
Fone: (81) 3427.9000 / 3427.4888

ATENÇÃO
Procure seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis neste Blog, possuem apenas caráter educativo.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

ARTE

ORIGAMI

Origami é a arte japonesa de dobrar o papel. A origem da palavra advém do japonês ori (dobrar) kami (papel), que ao juntar as duas palavras a pronúncia fica "origami". Geralmente parte-se de um pedaço de papel quadrado, cujas faces podem ser de cores diferentes, prosseguindo-se sem cortar o papel.

ORIGAMI NO BRASIL
Acredita-se que no Brasil, a arte do Origami foi introduzida de duas maneiras: uma através de nosso país vizinho, a Argentina que possui muita influência da cultura espanhola e outra, através dos imigrantes japoneses que aqui vieram, a partir de 1908. Na Argentina, uma das heranças culturais trazidas pelos espanhóis foi a tradição de dobrar papel, que na época foi influenciada pelos artigos escritos pelo filósofo espanhol Miguel Unamuno, que era reitor da Universidade de Salamanca. Mais tarde dois europeus emigraram para a Argentina: Dr. Vicente Solórzano Sagredo e Giordano Lareo que publicaram livros no final da década de 30 sobre o assunto. Estes conhecimentos acabaram se espalhando por alguns países da América do Sul.

Por outro lado, quando os japoneses emigraram para o Brasil, trouxeram com eles vários costumes japoneses que aqui procuraram preservar, entre eles, o Origami. Um destes imigrantes, chamado Takao Kamikawa, chegou com a família no ano 9 da era Showa para trabalhar nas fazendas de café.

Dizem que ele costumava aos domingos reunir as crianças na Fazenda Barracão na cidade de Bauru e com pedaços de jornais que ele ajuntava e cortava em quadrados, entretia a criançada com figuras como "damashibune, hakama, tsuru, etc". Trouxe consigo do Japão, um livro chamado "Konreikagami" de Matsuaki Futaba, da editora Dainipon Reisetsu Gakuin Shupan-bu sobre todo o cerimonial religioso do casamento, onde aparece o modo de dobrar algumas figuras como noshi e outros ornamentos feitos de papel ultilizados na cerimônia. Ele costumava fazer todos estes enfeites e em festas decorava o salão com vários tsurus.

Serviço:
Júlio César - Artesão
Contato: (81) 9183.6078 / 8618.2418

FAMÍLIA

PSICOLOGIA DA FAMÍLIA

Quando se remete á Psicologia da Família não necessariamente estamos falando de uma família inteira em um consultório, em sessão de psicoterapia. Certamente um único membro que esteja envolvido no processo será agente transformador deste núcleo (claro que com isso não tiramos as indicações psicoterápicas de outros membros).

Considerar os aspectos evolutivos e culturais da família é condição sine qua nom para seu acolhimento e bom andamento do processo psicoterapêutico. Neste sentido, há de se perceber que a criança não era distinguida dos adultos na Idade Média. Muitas vezes, vivia afastada da casa dos pais, alimentadas por amas de leite; havia o provilégio do primogênito; a educação se dava pela aprendizagem de um ofício; a família era valorizada pelo aspecto social.

Na Idade Moderna, a criança começa a conviver com os pais; a educação é dada pela escola; os filhos passam a ser tratados com igualdade. É, contudo, na contemporaneidade, que os casamentos são realizados com base na idealização do amor (o amor romântico da modernidade); há uma liberação sexual; mudanças nos papéis de gênero e sexo; participação da mulher no mercado; influência robusta dos meios de comunicação e tecnologia; instabilidade, individualismo, competição; incremento de novas organizações familiares.

Em face às novas configurações familiares: família nuclear, adotiva, extensa, monoparental, recasada e abragente, que se dá a atuação da Psicologia da família, ou qualquer intervenção psicoterapêutica. Assim, entre os desafios enfrentados pelos profissionais que atuam em clínica, na atualidade, está a compreensão da psicodinâmica daqueles que o procuram, e o real entendimento de suas queixa e demanda. Articulando sua compreensão da singularidade de cada sujeito, bem como da historicidade e dinâmica familiar desse.

Os profissionais de saúde, psicólogos em especial, podem perceber a família enquanto um jogo de quebra-cabeça, o qual em cada sessão, a cada encontro, questões sistêmicos e idiossincráticas (próprias de cada um) aparecem e desenlaçam os entraves da família. É preciso salientar que o atendimento à família não se propões à "cura", ou melhor, à solução de todas as questões que adentram problemas.

Serviço:
Suenne Valadares - Psicóloga
Contato: (81) 9299.4054

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

CONCURSO FANTASTIC HAIR

Confira a lista dos classificados para a próxima fase do concurso

1. LUIZ FÉLIX LAPA FILHO

2. MARIA JOSÉ G. CAVALCANTE

4. PATRÍCIA DE SOUZA SANTANA

5. FERNANDA DE OLIVEIRA LIMA

6. CLAUDIA ARAÚJO ROCHA

7. LUCIMAR CRUZ DE MELO

8. CARLA ELIZABETH SOUZA VASCO

9. ANA PAULA SAMPAIO

10. DANIELE MARIA DA SILVA

11. IVONE MARIA DO NASCIMENTO

12. JOSIAS GOUVEIA

13. DULCINÉIA DE PAIVA

14. LUCYCLEIDE PRATES BARBOSA

15. JOÃO BOSCO DE OLIVEIRA

16. FRANCISCO MARDEM DE OLIVEIRA

17. ELAINY ELLY F. SANTOS

8. ROZINETE GOMES DA SILVA

19. GIVANILDO PAIVA CANDIDO

20. JOSUÉ GOUVEIA DE LIMA

21. LUCIMARY DA SILVA

22. MARCOS L. DA SILVA

Parabéns a todos os selecionados! a produção do concurso entrará em contato com todos e agendará as datas para a próxima fase. Agora é só aguardar e torcer para conquistar o tíulo de melhor cabeleireiro de Pernambuco.


Informações: (81) 2125.5149
bemviver@tvclubepe.com.br

ECOSSISTEMA

INSTITUTO OCEANÁRIO
Organização civil do terceiro setor, com sede na Ilha de Itamaracá-PE, fundado em 1997, formado por uma equipe multidisciplinar (Biólogos, Geólogos, Engenheiros de Pesca, Mergulhadores Profissionais, Professores Universitários, Oficiais da Marinha do Brasil, entre outras categorias profissionais), que tem por finalidade promover e ministrar atividades de educação, pesquisa, capacitação, consultoria e gerenciamento de assuntos relacionados com os ecossistemas costeiros, o meio ambiente e atividades marítimas, inclusive subaquáticas, compatibilizadas com o desenvolvimento sustentável, bem como para a construção de uma mentalidade marítima em nosso país.

Tem como atribuições:

Acompanhar e registrar os incidentes com tubarões, consolidando dados estatísticos; definir estratégias e ações que visem minimizar os riscos de ataques nas praias afetadas; acompanhar as ações, desencadeadas pelos diversos órgãos, relacionadas aos incidentes com tubarões; atuar como centro de referência, orientando as informações e discussões; avaliar impactos de toda ordem, sejam econômicos, sociais ou ambientais, decorrentes dos incidentes e ações empreendidas. No programa Bem Viver Gardênia recebeu a engenheira de pesca Ana Paula Leite (foto acima) e o geólogo marinho Luiz Lira (foto acima), ambos membros do Istituto Oceanário.

ATAQUES DE TUBARÃO NA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE

Fatores como prováveis responsáveis pelo aumento no número de ataques:

· Elevação do número de surfistas e banhistas na região, ao longo
dos anos;
· A pesca de arrasto de camarão, com descarte de peixes, próximo
às praias da área afetada;

· A topografia submarina da região, caracterizada por um canal
profundo adjacente à praia;

· Mudanças climáticas em anos recentes (particularmente em
1994, quando 10 ataques ocorreram)

· A construção do Porto de Suape, ao sul de Recife, resultando em
um grave impacto ambiental e um acentuado aumento no
tráfego marítimo.

Áreas portuárias são tradicionalmente consideradas zonas perigosas em função da maior abundância de tubarões, provavelmente atraídos pelo lixo que os navios comumente despejam no mar, apesar dessa prática ser proibida. Além disso, os navios costumam trafegar em áreas distantes da costa, próximas ao talude continental, onde habitam espécies e indivíduos de maior porte, os quais podem ser atraídos pelas grandes embarcações para áreas mais rasas, quando as mesmas entram em áreas portuárias, como no caso do Porto de Suape.

Além do tráfego marítimo, um outro fator de grande importância parece ter sido o impacto ecológico causado pela construção do Porto, incluindo a destruição de vastas áreas de manguezal e aterros, além do desvio do curso de dois rios: o Ipojuca e o Merepe. Como esta área era
relativamente virgem, era provavelmente freqüentada por fêmeas do tubarão cabeçachata
como área de parto, já que é comum o hábito nesta espécie de parir os seus filhotes em regiões estuarinas. A partir da degradação ambiental verificada, é provável que um número maior de
fêmeas desta espécie tenha passado a se deslocar para o estuário mais próximo, o do Rio Jaboatão, localizado ao norte, o qual desemboca exatamente nas praias da Região Metropolitana do Recife, onde ocorreram todos os ataques, exceto três (Pontas de Pedra, Pau Amarelo
e Del Chifre), ou seja, Paiva, Candeias, Piedade, Boa Viagem e Pina.

Neste contexto, outro fator relevante são as correntes marinhas, as quais, conforme os dados obtidos pelo projeto de pesquisa em curso, possuem direção predominantemente sul norte (Suape Þ Recife), a maior parte do ano, mas particularmente no período de julho a setembro. A captura de fêmeas prenhes da espécie cabeçachata, prontas para dar à luz os seus filhotes, além da captura de juvenis, no Estuário do Rio Jaboatão, parece confirmar esta hipótese.

A aparente tendência dos ataques de se concentrarem nas fases de lua nova e cheia, quando ocorreram a maior parte dos incidentes, está provavelmente associada ao fato de que nestas fases lunares a amplitude das marés é máxima, favorecendo, portanto, não apenas condições mais propícias para a prática do surfe, como também uma maior aproximação de tubarões de maior porte. Além disto, as ondas maiores ocorrem, comumente, nos períodos de maré alta, o que no caso das marés de sizígia (luas nova e cheia) acontece em torno de 4:00h e 16:00h, ou seja, ao nascer do sol e ao cair da tarde, períodos em que a maioria dos tubarões de maior agressividade se encontram também mais ativos, em contraposição ao que ocorre nas luas de quarto crescente e minguante, quando a maré alta se dá por volta das 10:00h
e 22:00h.

A menor incidência de ataques no período de janeiro a março, possivelmente decorra do fato de este ser o período de menor intensidade pluviométrica e ventos mais fracos, predominantemente de nordeste, desfavorecendo assim a formação de ondas propícias à prática do surfe, além de aumentar significativamente a transparência da água. A partir de Julho, os ventos de Sul e Sudeste tornamse bem mais freqüentes, intensificando as correntes no sentido Suape Þ Recife, como citado acima, além de tornar as águas bem mais turvas, aspecto que contribui significativamente para a ocorrência de ataques. Isto explicaria a maior incidência de ataques ocorrendo entre julho e setembro.

Além disto, as fêmeas da espécie cabeçachata costumam se aproximar com mais freqüência dos estuários para parir os filhotes, ao fim do período chuvoso, o qual, no Estado de Pernambuco, costuma ocorrer entre março e julho. A configuração topográfica submarina do trecho Pina Candeias pode ser considerada ainda como mais um fator agravante no problema dos ataques. A presença de um banco de areia e algas calcárias mais raso, com profundidades entre 1 e 3 m, a cerca de 1,000 m da costa, estendendo-se desde o Pina até os arrecifes de Candeias, precedido por um canal mais profundo, com profundidades entre 5 e 8 m, adjacente à praia, confere a este trecho do litoral uma condição altamente propícia à ocorrência de ataques. Zonas de canal em áreas de mar aberto são normalmente consideradas como de alta periculosidade, onde banhistas
e surfistas devem ter sempre grande cautela.

Além disto, as ondas se formam exatamente na borda do canal, em função da redução na
profundidade, sendo este exatamente o local onde os surfistas permanecem a maior parte do tempo esperando a formação das melhores ondas. A hipótese de que os ataques tenham sido provocados por indivíduos isolados parece encontrar respaldo nos baixos índices de abundância observados. Definitivamente a costa do Estado de Pernambuco não se encontra infestada por tubarões, como muitos imaginam, não sendo pertinente, conseqüentemente, se atribuir a
elevação dramática do número de ataques a uma superabundância de tubarões.

Na verdade, para que ocorram entre 3 e 4 ataques por ano, média observada no litoral do Recife até 2004, é bastante que 3 a 4 tubarões agressivos se aproximem da praia e aí permaneçam durante alguns dias, sendo tal permanência, nesse caso, facilitada inclusive pela presença do canal profundo adjacente à praia, conforme já mencionado. As capturas do tubarão tigre, Galeocerdo cuvier, e do cabeçachata, Carcharhinus leucas, na área onde os ataques têm se verificado, confirmam as mesmas como principais suspeitas nos casos de ataques (dos 8 casos nos quais a espécie foi identificada, 7 eram cabeçachata e 1 era tigre), não se podendo, contudo, a priori, se descartar a possibilidade de envolvimento de outras espécies, como o galhapreta, Carcharhinus limbatus, principal espécie responsável pelos ataques na Flórida e também presente no litoral recifense.

Infelizmente, os danos causados pelos ataques de tubarão na costa pernambucana possuem um alcance que vai muito além das vítimas e de suas famílias. Como possuem um forte impacto de mídia, os ataques têm alcançado uma ampla divulgação local, nacional e até mesmo internacional, repercutindo negativamente na imagem do Estado, com óbvios prejuízos para a atividade turística, incluindo todos os seus segmentos, desde as agências de viagem até a indústria
hoteleira, passando pelas operadoras de esportes náuticos e atividades de mergulho.

Fonte: CEMIT

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

O PODER DA FÉ

Segundo os estudiosos, todo ser humano tem imanente dentro de si um poder que o torna capaz de criar tudo aquilo que deseja com uma vontade firme e persistente. De acordo com essa premissa, somos feitos à imagem e semelhança de Deus, como afirmam as Escrituras Sagradas. Essa capacidade nos é inerente e responde de maneira diretamente proporcional às nossas crenças e convicções. Esse poder que bem poderia ser chamado de "vontade inquebrantável" ou "desejo da alma" é o poder da fé.

Muito se tem falado a respeito do fantástico poder da fé desde tempos imemoriais. Essa força sem limites é a origem e o alimento quem mantém vivas as crenças e religiões do mundo. É autênctico. Caso contrário já teria sido desmistificado e descartado pela raça humana. Não obstante, todos os dias, milhões de pessoas em todo o mundo, recolhem-se em seus templos exteriores e interiores, em busca de alento ou de solução para os seus problemas. E, nem todos voltam dessa experiência mística de mãos vazias.

Pelo contrário: são muitos os que obtém os resultados almejados. Isso acontece com os fiéis católicos, com os evangélicos, com os budistas, com os magos das mais variadas tendências, com os alquimistas e com os nativos que vivem no meio da floresta cultuando as forças da natureza.

Por quê?
Essa é uma pergunta que têm muitas respostas. E cada resposta depende de quem foi inquirido a respeito. O católico atribuirá o resultado do seu "milagre" a um determinado santo. O evangélico atribuirá sua cura à intervenção direta de Jesus Cristo. O pesquisador atribuirá ao poder da sua própria mente. O mago atribuirá o resultado à sua capacidade de entrar em sintonia com a Energia Original do Cosmos.

* Quem teria razão em suas afirmações?
* Todos?
* Ou ninguém?
* Ninguém com sabedoria se atreve a responder tal pergunta.
* Mas o que isso importa?

O importante é o resultado da força da fé. Isso é o que importa. Conta-se que certa vez Thomas Edison foi questionado acerca do funcionamento da eletricidade; sobre o que seria essa energia. Com sabedoria, disse simplesmente: a eletricidade é. Use-a. Ninguém até hoje sabe com precisão como ocorre o processo de reação dos elétrons no interior de um átomo. Nem por isso, do mais humilde ao mais sábio homem deixa de utilizar-se dos inúmeros provocados pelo movimento dos elétrons em um fio condutor.

Do mesmo modo, quem tem um carro não precisa conhecer todo o mecanismo de ação do motor à explosão, nem ser perito em engenharia mecânica para fazê-lo andar. Simplesmente precisa aprender a dirigir. Assim é com a fé. Use-a. Basta aprender a dirigi-la corretamente para o propósito almejado. Não importa em qual escola você ingressou para aprender a dirigi-la (magia, alquimia, catolicismo, budismo, etc).

Também não importa o método de aprendizagem e treinamento (estudos teológicos, meditação, contemplação, imaginação, mentalização, etc). O que importa é aprender a guiá-la de forma ordenada para a realização dos seus propósitos.

A Biblia, livro hermético de cabeceira da maioria dos povos do ocidente está repleta de textos que fazem alusão ao poder da fé. Numa carta escrita aos Hebreus, Paulo, o apóstolo póstumo de Cristo nos dá uma definição sábia para o conceito espiritual de fé.

Vejamos:
Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem.
Não se pode dizer que Paulo extraiu esta análise de sua sabedoria filosófica, adquirida em seus tempos de contato com os fisósofos, antes de sua conversão, ou se verdadeiramente através de um lampejo intuitivo. A verdade é que tal frase encerra em si tudo o que se pode deduzir acerca da maravilhosa energia da fé. Segundo a frase acima ter fé é simplesmente acreditar na realização dos seus propósitos.

É trazer ao mundo através da vontade firme as coisas que esperamos e almejamos. Trazer o invisível para o mundo da manifestação. É mateirializar as formas originais oriundas do mundo das idéias. É o Fiat Lux Divino. A análise desse poder comprova a verdade sagrada revelada nas escrituras: Vós sois deuses!

Através do poder da imaginação e da vontade (fé) disciplinada para um propósito somos capazes de criar de forma original, à maneira de Deus. Esse é o segredo por trás de todas as realizações humanas. O proprio Jesus Cristo, Mestre maior do Cristianismo definiu claramente que a sua metodologia de ação estava inteiramente ancorada no poder da fé.

Vejamos:
Em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele há de passar; e nada vos será impossível. (Do Evangelho de Mateus)

...e, avistando uma figueira à beira do caminho, dela se aproximou, e não achou nela senão folhas somente; e disse-lhe: Nunca mais nasça fruto de ti. E a figueira secou imediatamente. Quando os discípulos viram isso, perguntaram admirados: Como é que imediatamente secou a figueira?

Jesus, porém, respondeu-lhes: Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidardes, não só fareis o que foi feito à figueira, mas até, se a este monte disserdes: Ergue-te e lança-te no mar, isso será feito; e tudo o que pedirdes na oração, crendo, recebereis. (Do Evangelho de Mateus)
Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: Desarraiga-te, e planta-te no mar; e ela vos obedeceria”. (Do Evangelho de Lucas)

Disse-lhe ele: Vem. Pedro, descendo do barco, e andando sobre as águas, foi ao encontro de Jesus. Mas, sentindo o vento, teve medo; e, começando a submergir, clamou: Senhor, salva-me. Imediatamente estendeu Jesus a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste? E logo que subiram para o barco, o vento cessou. (Do Evangelho de Mateus)

Na maioria das vezes, Jesus atribuía a cura à fé dos próprios enfêrmos. É comum isso verificar em diversas falas do Mestre, na versão dos quatro evangelistas. Vejamos alguns trechos:
E, tendo ele entrado em casa, os cegos se aproximaram dele; e Jesus perguntou-lhes: Credes que eu posso fazer isto? Responderam-lhe eles: Sim, Senhor. Então lhes tocou os olhos, dizendo: Seja-vos feito segundo a vossa fé. E os olhos se lhes abriram. (Do Evangelho de Mateus)

Depois chegaram a Jericó. E, ao sair ele de Jericó com seus discípulos e uma grande multidão, estava sentado junto do caminho um mendigo cego, Bartimeu filho de Timeu. Este, quando ouviu que era Jesus, o nazareno, começou a clamar, dizendo: Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim! E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava ainda mais: Filho de Davi, tem compaixão de mim. Parou, pois, Jesus e disse: Chamai-o. E chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, ele te chama. Nisto, lançando de si a sua capa, de um salto se levantou e foi ter com Jesus. Perguntou-lhe ao cego: Que queres que te faça? Respondeu-lhe o cego: Mestre, que eu veja. Disse-lhe Jesus: Vai, a tua fé te salvou. E imediatamente recuperou a vista, e foi seguindo pelo caminho. (Do Evangelho de Marcos)

E eis que certa mulher, que havia doze anos padecia de uma hemorragia, chegou por detrás dele e tocou-lhe a orla do manto; porque dizia consigo: Se eu tão-somente tocar-lhe o manto, ficarei sã. Mas Jesus, voltando-se e vendo-a, disse: Tem ânimo, filha, a tua fé te salvou. E desde aquela hora a mulher ficou sã. (Do Evangelho de Mateus)

Uma análise mais profunda, nos mostra que o poder da fé independe diretamente de fatores exteriores ao ser humano. Isso não significa que devemos negar as influências externas determinando o nosso destino. Não estamos afirmando isso. Queremos demonstrar simplesmente que a cura atribuída a um santo por um católico, também pode ser alcançada através de outros métodos por um místico que busca o poder de cura dentro de seu próprio ser através da meditação, da mentalização ou da imaginação disciplinada.

Isso ocorre porque o homem é um ser transcendental que acolhe energias superiores de outras fontes, além daquelas estabelecidas através das convenções naturais. Isso é inegável. Entretanto, como já mencionamos, não podemos determinar o que é certo e o que é errado quando tratamos desses mistérios. O que podemos concluir é que o poder está aí para ser usado. Use-o.

Exatamente como você usa a eletricidade ou o seu automóvel sem conhecer seus mecanismos.
A sua força interior é um presente do universo para ser utilizada com sabedoria, liberdade e responsabilidade. Utilize-a para beneficiar a si mesmo e a toda a humanidade e você terá uma vida cheia de bençãos.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

SAÚDE

MAMA

Cuidados com a beleza, auto-estima e, principalmente, com a saúde. Esse é o lema do Programa Bem Viver. Pensando dessa maneira, o programa levou aos telespectadores um tema de grande importância para a população em geral, o câncer de mama. Gardênia recebeu no estúdio o mastologista Dr. Helio Sena que esclareceu dúvidas acerca do tema. Além do Dr. Hélio, quem esteve no programa para dar seu depoimento e contar um pouco da sua história de vida foi a vendedora Maria Cleide, recém curada de um câncer de mama.
Cleide superou o problema em 2008, após um difícil tratamento à base de quimioterapia, além de cirurgia. A vendedora teve total apoio da família durante o tratamento. Os familiares chegaram à raspar os cabelos, assim que os de Maria Cleide começaram a cair. "Alcançamos o milagre da cura, através de muita fé, informação, e apoio familiar e dos amigos", afirma Gustavo Silva, filho de Cleide.

INFORMAÇÕES SOBRE AS MAMAS
Como são as mamas
As mamas (ou seios) são glândulas e sua função principal é a produção de leite. Elas são compostas de lobos que se dividem em porções menores, os lóbulos, e ductos, que conduzem o leite produzido para fora pelo mamilo. Como todos os outros órgãos do corpo humano, também se encontram nas mamas vasos sanguíneos, que irrigam a mama de sangue, e os vasos linfáticos, por onde circula a linfa.
A linfa é um líquido claro que tem uma função semelhante ao sangue de carregar nutrientes para as diversas partes do corpo e recolher as substâncias indesejáveis. Os vasos linfáticos se agrupam no que chamamos de gânglios linfáticos, ou ínguas. Os vasos linfáticos das mamas drenam para gânglios nas axilas (em baixo dos braços) na região do pescoço e no tórax.

Os tipos de câncer de mama
O câncer de mama ocorre quando as células deste órgão passam a se dividir e se reproduzir muito rápido e de forma desordenada. A maioria dos cânceres de mama acomete as células dos ductos das mamas. Por isso, o câncer de mama mais comum se chama Carcinoma Ductal. Ele pode ser in situ, quando não passa das primeiras camadas de célula destes ductos, ou invasor, quando invade os tecidos em volta.

Os cânceres que começam nos lóbulos da mama são chamados de Carcinoma Lobular e são menos comuns que o primeiro. Este tipo de câncer muito freqüentemente acomete as duas mamas. O Carcinoma Inflamatório de mama é um câncer mais raro e normalmente se apresenta de forma agressiva, comprometendo toda a mama, deixando-a vermelha, inchada e quente.

Fatores de risco para o câncer de mama
O câncer de mama, como muitos dos cânceres, tem fatores de risco conhecidos. Alguns destes fatores são modificáveis, ou seja, pode-se alterar a exposição que uma pessoa tem a este determinado fator, diminuindo a sua chance de desenvolver este câncer.
Existem também os fatores de proteção. Estes são fatores que, se a pessoa está exposta, a sua chance de desenvolver este câncer é menor. Os fatores conhecidos de risco e proteção do câncer de mama são os seguintes:

Idade:
O câncer de mama é mais comum em mulheres acima de 50 anos. Quanto maior a idade maior a chance de ter este câncer. Mulheres com menos de 20 anos raramente têm este tipo de câncer.

Exposição excessiva a hormônios:
Terapia de reposição hormonal (hormônios usados para combater os sintomas da menopausa) que contenham os hormônios femininos estrogênio e progesterona aumentam o risco de câncer de mama. Não tomar ou parar de tomar estes hormônios é uma decisão que a mulher deve tomar com o seu médico, pesando os riscos e benefícios desta medicação.

Anticoncepcional oral (pílula) tomado por muitos anos também pode aumentar este risco.
Retirar os ovários cirurgicamente diminui o risco de desenvolver o câncer de mama porque diminui a produção de estrogênio (menopausa cirúrgica).

Algumas medicações "bloqueiam" a ação do estrogênio e são usadas em algumas mulheres que tem um risco muito aumentado de desenvolver este tipo de câncer. Usar estas medicações (como o Tamoxifen) é uma decisão tomada junto com o médico avaliando os risco e benefícios destas medicações.

Radiação:
Faz parte do tratamento de algumas doenças irradiar a região do tórax. Antigamente muitas doenças benignas se tratavam com irradiação. Hoje, este procedimento é praticamente restrito ao tratamento de tumores. Pessoas que necessitaram irradiar a região do tórax ou das mamas têm um maior risco de desenvolver câncer de mama.

Mulheres obesas têm mais chance de desenvolver câncer de mama, principalmente quando este aumento de peso se dá após a menopausa ou após os 60 anos. Manter-se dentro do peso ideal, principalmente após a menopausa diminui o risco deste tipo de câncer.

Seguir uma dieta saudável, rica em alimentos de origem vegetal com frutas, verduras e legumes e pobre em gordura animal pode diminuir o risco de ter este tipo de câncer. Apesar dos estudos não serem completamente conclusivos sobre este fator de proteção, aderir a um estilo de vida saudável, que inclui este tipo de alimentação, diminui o risco de muitos cânceres, inclusive o câncer de mama.

Exercício físico:
Exercício físico normalmente diminui a quantidade de hormônio feminino circulante. Como este tipo de tumor está associado a esse hormônio, fazer exercício regularmente diminui o risco de ter câncer de mama, principalmente em mulheres que fazem ou fizeram exercício regular quando jovens.

História ginecológica:
Não ter filhos ou engravidar pela primeira vez tarde (após os 35 anos) é fator de risco para o câncer de mama.

Menstruar muito cedo (com 11 anos, ou antes) ou parar de menstruar muito tarde expõe a mulher mais tempo aos hormônios femininos e por isso aumenta o risco deste câncer. Amamentar, principalmente por um tempo longo, um ano ou mais somado todos os períodos de amamentação, pode diminuir o risco do câncer de mama.

História familiar:
Mulheres que tem parentes de primeiro grau, mães, irmãs ou filhas, com câncer de mama, principalmente se elas tiverem este câncer antes da menopausa, são grupo de risco para desenvolver este câncer.

Apesar de raro, homens também podem ter câncer de mama e ter um parente de primeiro grau, como o pai, com este diagnóstico também eleva o risco familiar para o câncer de mama.
Pessoas deste grupo de risco devem se aconselhar com o seu médico para definir a necessidade de fazer exames para identificar genes que possam estar presentes nestas famílias.

Se detectado um maior risco genético, o médico pode propor algumas medidas para diminuir estes riscos. Algumas medidas podem ser bem radicais ou ter efeitos colaterais importantes. Retirar as mamas e tomar Tamoxifen são exemplos destas medidas. A indicação destes procedimentos e a discussão dos prós e contras é individual e deve ser tomada junto com um médico muito experiente nestes casos.

Alterações nas mamas:
Ter tido um câncer de mama prévio é um dos maiores fatores de risco para este tipo de câncer. Manter-se dentro do peso ideal, fazer exercício físico, seguir corretamente as recomendações do seu médico e fazer os exames de revisão anuais são medidas importantes para diminuir a volta do tumor ou ter um segundo tumor de mama.

Ter feito biópsias mesmo que para condições benignas está associado a um maior risco de ter câncer de mama. Mamas densas na mamografia está associado a um maior risco para este tumor. É muito importante que a mamografia seja feita em um serviço qualificado e que o exame seja comparado com exames anteriores.

Sintomas do câncer de mama:
O câncer de mama normalmente não dói. A mulher pode sentir um nódulo (ou caroço) que anteriormente ela não sentia. Isso deve fazer ela procurar o seu médico. O médico vai palpar as mamas, as axilas e a região do pescoço e clavículas e se sentir um nódulo na mama pedirá uma mamografia.

A mulher também pode notar uma deformidade na suas mamas, ou as mamas podem estar assimétricas. Ou ainda pode notar uma retração na pele ou um líquido sanguinolento saindo pelo mamilo. Nos casos mais adiantados pode aparecer uma "ferida" (ulceração) na pele com odor muito desagradável. No caso de carcinoma inflamatório a mama pode aumentar rapidamente de volume, ficando quente e vermelha.
Na maioria dos casos, a mulher é a responsável pela primeira suspeita de um câncer. É fundamental que ela conheça as suas mamas e saiba quando alguma coisa anormal está acontecendo. As mamas se modificam ao longo do ciclo menstrual e ao longo da vida. Porém, alterações agudas e sintomas como os relacionados acima devem fazer a mulher procurar o seu médico rapidamente. Só ele pode dizer se estas alterações podem ou não ser um câncer.

Como se faz o diagnóstico de câncer de mama:
A mamografia é um Rx das mamas. Este exame também é feito para detecção precoce do câncer quando a mulher faz o exame mesmo sem ter nenhum sintoma. Caso a mama seja muito densa, o médico também vai pedir uma ecografia das mamas.

Se a mamografia mostra uma lesão suspeita, o médico indicará uma biópsia que pode ser feita por agulha fina ou por agulha grossa. Geralmente, esta biópsia é feita com a ajuda de uma ecografia para localizar bem o nódulo que será coletado o material, se o nódulo não for facilmente palpável. Após a coleta, o material é examinado por um patologista (exame anátomo-patológico) que definirá se esta lesão pode ser um câncer ou não.

Tratamento para o câncer de mama:
Existem vários tipos de tratamento para o câncer de mama. São vários os fatores que definem o que é mais adequado em cada caso. Antes da decisão de que tipo de tratamento é mais adequado o médico analisa o resultado do exame anátomo-patológico da biópsia ou da cirurgia se esta já tiver sido feita. Além disso, o médico pede exames de laboratório e de imagem para definir qual a extensão do tumor e se ele saiu da mama e se alojou em outras partes do corpo.

Se o tumor for pequeno, o primeiro procedimento é uma cirurgia onde se tira o tumor. Dependendo do tamanho da mama, da localização do tumor e do possível resultado estético da cirurgia, o cirurgião retira só o nódulo, uma parte da mama (geralmente um quarto da mama ou setorectomia) ou retira a mama inteira (mastectomia) e os gânglios axilares.
As características do tumor retirado e a extensão da cirurgia definem se a mulher necessitará de mais algum tratamento complementar ou não. Geralmente, se a mama não foi toda retirada, ela é encaminhada para radioterapia.

Dependendo do estadiamento, ou seja, quão avançada está a doença (tamanho, número de nódulos axilares comprometidos e envolvimento de outras áreas do corpo), também será indicada quimioterapia ou hormonioterapia. Radioterapia é o tratamento que se faz aplicando raios para eliminar qualquer célula que tenha sobrado no local da cirurgia que por ser tão pequena não foi localizada pelo cirurgião nem pelo patologista. Este tratamento é feito numa máquina e a duração e intensidade dependem das características do tumor e da paciente.

Quimioterapia é o uso de medicamentos, geralmente intravenosos, que matam células malignas circulantes. O tipo de quimioterápico utilizado depende se a mulher já está na menopausa e a extensão da sua doença. Hormonioterapia é o uso de medicações que bloqueiam a ação dos hormônios que aumentam o risco de desenvolver este tipo de câncer. Este tratamento é dado para aquelas pacientes em que o tumor mostrou ter estes receptores positivos (receptor de estrogênio e receptor de progesterona).

Detecção precoce do câncer de mama:
O exame de palpação realizado pelo médico e a mamografia são os exames realizados para uma detecção precoce desse tipo de câncer.

Como o médico faz esse exame?
O exame mais fácil de se realizar para se detectar uma alteração da mama é o exame de palpação. Neste exame o médico palpa toda a mama, a região da axila e a parte superior do tronco em busca de algum nódulo ou alteração da pele, como retração ou endurecimento, e de alguma alteração no mamilo.

A mamografia é um Raio X das mamas e das porções das axilas mais próximas das mamas. Nesse exame, o radiologista procura imagens sugestivas de alterações do tecido mamário e dos gânglios da axila. A ecografia das mamas pode auxiliar o radiologista a definir que tipo de alterações são essas.
Esses exames, quando realizados anualmente ou mais freqüentemente, dependendo da história individual da paciente (presença de fatores de risco ou história de tumores e biópsias prévias), pode diminuir a mortalidade por esse tipo de tumor, quando realizados entre os 50 e os 69 anos.
Porém, este tipo de tumor tem características diferentes para populações diferentes. Isto altera o quanto a mamografia é eficaz em diminuir a mortalidade por este tipo de tumor.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

PREVENÇÃO

CRIANÇA SEGURA

A CRIANÇA SEGURA é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, que tem como missão promover a prevenção de acidentes com crianças e adolescentes de até 14 anos. Todos os anos, 6 mil crianças morrem e 140 mil são hospitalizadas vítimas de acidentes em decorrência da falta de cultura de prevenção, informação e de cuidados no dia-a-dia,da ausência de ambientes adequados à criança e leis específicas.Acidentes de trânsito, afogamentos, sufocações, quedas, queimaduras, intoxicações, entre outros, podem ser evitados com ações educativas, modificações no meio ambiente, informação e criação e cumprimento de regulamentações adequadas.

Dados sobre Acidentes
Os acidentes, ou lesões não-intencionais, representam a principal causa de morte de criançasS de 1 a 14 anos no Brasil. No total, cerca de 6 mil crianças até 14 anos morrem e 140 mil são hospitalizadas anualmente segundo dados do Ministério da Saúde, configurando-se como uma séria questão de saúde pública.

Estimativas mostram que a cada morte, outras quatro crianças ficam com seqüelas permanentes que irá gerar, provavelmente, conseqüências emocionais, sociais e financeiras à essa família e à sociedade. De acordo com o governo brasileiro, cerca de R$ 63 milhões são gastos na rede do SUS – Sistema Único de Saúde. A boa notícia é que estudos mostram que pelo menos 90% dessas lesões poderiam ser evitadas com atitudes de prevenção!

O trauma no mundo
O trauma é a principal causa de morte em crianças e adultos jovens, e um dos maiores problemas de saúde pública mundial. Quando há sobrevida, as seqüelas temporárias ou permanentes têm um índice elevado. Segundo relatório da Organização Mundial de Saúde, somente em 1998, aproximadamente 5,8 milhões de pessoas morreram vítimas de trauma no mundo, o que representa 97,9 óbitos por 100.000 habitantes. Destes, aproximadamente 800.000 óbitos e 50 milhões de seqüelados estão na faixa etária de 0 a 14 anos de idade.
Dicas de Prevenção
A prevenção é a principal saída para a problemática dos acidentes, mas esta ainda permanece como um desafio. A prevenção não é encarada como prioridade no País. Muitas vezes é necessário que os problemas ocorram – dengue, AIDS, alagamentos, drogas – para só depois se rever os prejuízos. Além disso, o acidente nem sempre é notificado e tratado como tal, gerando ainda mais obstáculos na busca de soluções.Com a conscientização da sociedade, pelo menos 90% dos acidentes poderiam ser evitados com atitudes preventivas, como:

* Ações Educativas;
* Modificações no meio ambiente;
* Modificações de engenharia;
* Criação e cumprimento de legislação e regulamentação específicas.

Afogamentos
No Brasil é a segunda causa de morte e a oitava de hospitalização, por acidentes, na faixa etária de 1 a 14 anos. Segundo Ministério da Saúde, em 2005, 1.496 crianças de até 14 anos morreram vítimas de afogamentos. É importante salientar que os perigos não estão apenas nas águas abertas como mares, represas e rios. Para uma criança que está começando a andar, por exemplo, três dedos de água representam um grande risco.

Assim elas podem se afogar em piscinas, cisternas e até em baldes e banheiras. Outro fator que contribui para que o afogamento seja um dos acidentes mais letais para crianças e adolescentes é que acontece de forma rápida e silenciosa. Vamos imaginar um banho de banheira de um bebê:

* Ao deixar a criança na banheira para pegar uma toalha: cerca de 10 segundos são suficientes para que a criança dentro da banheira fique submersa;
* Ao atender ao telefone: apenas 2 minutos são suficientes para que a criança submersa na banheira perca a consciência;
* Sair para atender a porta da frente: uma criança submersa na banheira ou na piscina entre 4 a 6 minutos pode ficar com danos permanentes no cérebro.

Como proteger uma criança de um afogamento
Um adulto deve supervisionar de forma ativa e constante as crianças e adolescentes, onde houver água, mesmo que saibam nadar ou os lugares sejam considerados rasos:

* Esvaziar baldes, banheiras e piscinas infantis depois do uso e guardá-los sempre virados para baixo e longe do alcance das crianças.
* Conservar a tampa do vaso sanitário fechada, se possível lacrado com algum dispositivo de segurança “à prova de criança” ou a porta do banheiro trancada.
* Manter cisternas, tonéis, poços e outros reservatórios domésticos trancados ou com alguma proteção que não permita “mergulhos”
* Piscinas devem ser protegidas com cercas de no mínimo 1,5m que não possam ser escaladas e portões com cadeados ou trava de segurança que dificultem o acesso dos pequenos.
* Alarmes e capas de piscina garantem mais proteção, mas não eliminam o risco de acidentes. Esses recursos devem ser usados em conjunto com as cercas e a constante supervisão dos adultos;
* Grande parte dos afogamentos com bebês acontece em banheiras. Na faixa etária até dois anos, até vasos sanitários e baldes podem ser perigosos. Nunca deixe as crianças, sem vigilância, próximas a pias, vasos sanitários, banheiras, baldes e recipientes com água.
* Evitar brinquedos e outros atrativos próximos à piscina e aos reservatórios de água.
* Tenha um telefone próximo à área de lazer e o número da central de emergência;
* Saiba quais os amigos ou vizinhos têm piscina em casa e quando seu filho for visitá-los, certifique-se de que será supervisionado por um adulto enquanto brinca na água;
* Bóias e outros equipamentos infláveis passam uma falsa segurança. Eles podem estourar ou virar a qualquer momento e ser levado pela correnteza. O ideal é usar sempre um colete salva-vidas quando próximos a rios, mares, lagos e piscinas.
* Crianças devem aprender a nadar com instrutores qualificados ou em escolas de natação. Se os pais ou responsáveis não sabem nadar, devem aprender também.
* Muitos casos de afogamentos aconteceram com pessoas que achavam que sabiam nadar. Não superestime a habilidade natatória de crianças e adolescentes.
* Sempre usar colete salva-vidas aprovado pela guarda costeira quando estiver em embarcações em praias, rios, lagos ou praticando esportes aquáticos;
* Ter um telefone próximo à área de lazer e o número da central de emergência;
* No mar: a vala é o local de maior correnteza, que aparenta uma falsa calmaria que leva para o alto mar. Se entrar em uma vala, nade transversalmente à ela até conseguir escapar ou peça imediatamente socorro.
* O rápido socorro é fundamental para o salvamento da criança que se afoga, pois a morte por asfixia pode ocorrer em apenas 5 minutos. Por isso é tão importante que pais, responsáveis, educadores e outras pessoas que cuidam de criança aprendam técnicas de Reanimação Cardiopulmonar (RCP).

Oriente a:
* Sempre nadar com um companheiro. Nadar sozinho é muito perigoso.
* Respeitar as placas, os guarda-vidas e verificar as condições das águas abertas.
* Não brincar de empurrar, dar “caldo” dentro da água ou simular que está se afogando
* Saber ligar para um número de emergência e passar as informações corretas.

Armas de Fogo
Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2005, 40 crianças de até 14 anos morreram vítimas de acidentes com armas de fogo e 567 foram hospitalizadas.

Como proteger uma criança das armas de fogo
De preferência, não tenha armas. A menos que sua profissão exija esse tipo de equipamento, desarme-se.

O que os portadores de armas podem fazer:
* Sempre guarde as armas de fogo descarregadas, travadas e fora do alcance das crianças; * Guarde as munições em um lugar separado e trancado;
* Mantenha armas guardadas com chaves e lacres de combinação escondidos em lugares separados;
* Faça um curso de uso, manutenção e armazenamento seguro de armas. Saiba mais
* Até 8 anos de idade as crianças não conseguem distinguir entre armas reais e de brinquedo ou entender completamente as conseqüências de suas ações.
* Crianças de três anos de idade são fortes o suficiente para puxar o gatilho de muitos revólveres;
* Quase todos os tiros fatais não intencionais em crianças ocorrem em casa ou na vizinhança. A maioria dessas mortes envolve armas guardadas carregadas e acessíveis para as crianças.;
* Vale lembrar que as crianças até os 10 anos de idade não tem capacidade de fazer bons julgamentos sobre como segurar uma arma e conseqüentemente, seguir regras de segurança.

Atropelamentos
Querer independência faz parte do desenvolvimento das crianças, e os adultos, muitas vezes, querem apoiar essa crescente auto-estima. No entanto, na hora de atravessar a rua, deve-se pensar duas vezes antes de deixar as crianças irem sozinhas. O risco de as crianças se acidentarem pode ser reduzido com o exemplo dos adultos e com o ensino de um comportamento seguro para pedestres.

Como prevenir que os pequenos pedestres sofram um acidente
O mais importante que você pode fazer para ensinar um comportamento de pedestre seguro é praticá-lo você mesmo: atravesse as ruas olhando para ambos os lados, respeite os sinais de trânsito e faixas para pedestres, sempre que possível, e faça contato com os olhos dos motoristas antes de atravessar na frente deles;

* Não permita que uma criança menor de 10 anos atravesse a rua sozinha. A supervisão de um adulto é vital até que a criança demonstre habilidades e capacidade de julgamento do trânsito;
* Entradas de garagens, quintais sem cerca, ruas ou estacionamentos não são locais seguros para as crianças brincarem;
* Tenha certeza de que as crianças sempre usam o mesmo trajeto para destinos comuns (como escola). Caminhe com seu filho para identificar o caminho mais seguro. Escolha o trajeto mais reto, com poucas ruas para atravessar;
* Uma lanterna ou materiais reflexivos nas roupas da criança podem evitar atropelamentos. Ensine a criança
* Olhar para os dois lados várias vezes antes de atravessar a rua. Atravessar quando a rua estiver livre e continuar olhando para os lados enquanto atravessa;
* Utilizar a faixa de pedestres sempre que disponível. Mesmo na faixa, a criança deve olhar várias vezes para os dois lados e atravessar em linha reta. Quando não houver faixa de pedestre, a criança deve procurar outros locais seguros para atravessar, seja na esquina ou em passarelas ou próximo a lombadas eletrônicas;
* Entender e obedecer aos sinais de trânsito;
* Não atravessar a rua por entre carros, ônibus, árvores e postes;
* Nunca correr para a rua sem antes parar e olhar - seja para pegar uma bola, o cachorro ou por qualquer outra razão. Correr precipitadamente para a rua é a causa da maioria dos atropelamentos fatais com crianças;
* Em estradas ou vias sem calçadas, caminhar de frente para o tráfego (no sentido contrário aos veículos) para as crianças verem e serem vistas;
* Fazer contato visual com o motorista ao atravessar a rua para ter certeza de ser visto;
* Observar os carros que estão virando ou dando ré;
* Sempre que estiver com mais crianças, é preciso caminhar em fila única;
* Ao desembarcar do ônibus, esperar que o veículo pare totalmente e aguardar que ele se afaste para atravessar a rua.

Brincando
Brincar é uma importante parte do desenvolvimento da criança. Brinquedos oferecem diversão e entretenimento, além de ajudar seu filho no aprendizado. Para uma brincadeira segura, alguns itens devem ser observados, incluindo a presença da marca de conformidade do Inmetro – popularmente conhecido como selo do Inmetro - e a escolha do brinquedo adequado a faixa etária de seu filho.

Como proteger uma criança de um acidente com brinquedos
Supervisão é um importante fator para manter as crianças seguras de acidentes com brinquedos. Envolver-se com a brincadeira de seu filho, em vez de supervisionar à distância, lhe dá a oportunidade de tomar conta com mais cuidado. As crianças adoram quando os adultos participam de seus jogos. Brincar com o seu filho é uma forma de aprender mais sobre ele e ensinar-lhe importantes lições. Além disso, você se diverte também enquanto o protege.

* Quando selecionar os brinquedos, considere a idade, o interesse e o nível de habilidade da criança. Siga as recomendações do fabricante e procure brinquedos com selo do Inmetro;
Inspecione os brinquedos regularmente à procura de danos – que podem ocorrer durante a brincadeira ou enquanto a criança manuseia o brinquedo - e potenciais riscos tais como pontas afiadas e arestas. Conserte o brinquedo imediatamente ou mantenha-o fora do alcance da criança;

* Considere utilizar um testador para determinar aquelas partes pequenas de brinquedos que oferecem risco de engasgamento em crianças de até 3 anos. Crianças na chamada “fase oral” estão explorando o mundo e tendem a fazê-lo colocando brinquedos e outros objetos na boca. Dica: utilize uma embalagem plástica de filme fotográfico como referência, pois ela possui o diâmetro aproximado da garganta da criança e poderá alertar para o risco de forma bastante visual;

* Evite utilizar balões de látex (bexigas). Se realmente precisar utilizá-los, guarde-os fora do alcance das crianças e supervisione-as durante toda a brincadeira. Não permita que crianças encham bexigas e tenha muito cuidado com os pedaços de bexigas estouradas, pois podem ser acidentalmente ingeridos pelas crianças e ocasionar sérias conseqüências. Após o uso, esvazie as bexigas e descarte-as juntamente com eventuais pedaços;

* Evite brinquedos com pontas e bordas afiadas, que produzem sons altos e que apresentem projéteis, como dardos e flechas;

* Brinquedos com correntes, tiras e cordas com mais de 15 cm devem ser evitados para reduzir o risco de estrangulamento;

* Brinquedos elétricos podem causar queimaduras. Evite brinquedos com elementos de aquecimento – baterias, tomadas elétricas – para crianças com menos de 8 anos;

* Certifique-se de que os brinquedos serão usados em ambientes seguros. Brinquedos dirigidos pela criança não devem ser usados próximos a escadas, rua, piscina, lago, etc;
* Ensine as crianças a guardarem seus brinquedos após a brincadeira. Um local seguro para guardar previne quedas e outros acidentes. Brinquedos para crianças maiores podem ser perigosos para os menores e devem ser guardados separadamente;
* Presentes como bicicletas, patins, patinetes e skates são boas oportunidades para ensinar às crianças sobre segurança na diversão. Presenteie seu filho com os equipamentos de segurança necessários, tais como capacete, joelheira, cotoveleira, luvas e buzina. Fique atento ao recall de brinquedos – divulgado através da mídia – e siga as orientações do fabricante.

Carro
A maneira como seu filho é transportado no carro pode ser tão importante quanto fatores como velocidade do veículo e condições da estrada. Acidentes de trânsito (pedestres, passageiros e ciclistas) são a causa líder de mortes por acidentes entre crianças de 0 a 14 anos.

Como transportar seu filho com segurança em um automóvel
A melhor proteção para as crianças no carro é o uso de cadeiras e assentos de segurança. O cinto de segurança é projetado para adulto com no mínimo 1,45m de altura e por isso não protege as crianças dos traumas de um acidente.

Nunca saia de carro com crianças sem estes sistemas de retenção, mesmo que seja para ir até a esquina. Entretanto, não basta apenas comprar um desses artigos para garantir a segurança do seu filho. É importante usar cadeiras certificadas que sejam apropriadas ao tamanho e ao peso da criança e que se adaptem devidamente ao seu veículo. É importante instalá-la de acordo com as instruções do manual, pois a maioria das cadeiras e assentos de segurança é instalada de forma incorreta.

De acordo com o Código da Trânsito Brasileiro, as crianças devem sentar no banco traseiro até 10 anos de idade e utilizar os dispositivos de retenção para criança em veículos (cadeira e assento de segurança) até 7 anos e meio. No entanto, são necessárias diversas outras práticas de segurança. Certifique-se de que possui o selo do Inmetro, pois esta é a garantia de que o produto está preparado para resistir a um acidente.

AMERICANAS E EUROPÉIAS: todas são certificadas, pois nesses países a certificação é obrigatória. Qualquer produto proveniente dos Estados Unidos ou da Europa leva obrigatoriamente o selo de certificação.
BRASILEIRAS: certifique-se de que possui o selo do Inmetro. Caso contrário, não compre.

Cuidados com o bebê
Agora que vocês são pais, vocês provavelmente estão mais cuidadosos e querem proteger seus filhos de todas as ameaças que podem existir "lá fora". Mas, e os perigos que estão próximos ou em casa? Itens aparentemente inocentes, como a torneira do banheiro ou o botão perdido das suas camisas, de repente, têm uma grande importância, quando um bebê tem que ser cuidado. Até mesmo produtos feitos para ninar ou entreter sua criança podem, às vezes, ser perigosos. Sabia mais sobre medidas de segurança que irão ajudá-lo a deixar o ambiente do bebê mais seguro.

Como proteger o seu bebê dos acidentes
* Bebês devem dormir em colchão firme de barriga para cima, cobertos até a altura do peito com lençol ou manta que estejam presos embaixo do colchão. O colchão deve estar bem preso ao berço (não mais que dois dedos de espaço entre o berço e o colchão) e sem qualquer embalagem plástica.

* Seja especialmente cauteloso em relação aos berços usados. Procure berços certificados conforme as normas de segurança do Inmetro. Fique atento aos espaços das grades de proteção do berço, elas não devem ter mais que 6cm de distância entre elas.

* Remova todos os brinquedos e travesseiros do berço quando seu bebê estiver dormindo, para reduzir o risco de asfixia.

* Compre somente brinquedos apropriados para o seu bebê. Brinquedos pequenos e partes de brinquedos podem engasgar as crianças- verifique as indicações de idade do selo do Inmetro. Tenha certeza de que o piso está livre de objetos pequenos como botões, colar de contas, bolas de gude, moedas, tachinhas. Tire esses e outros pequenos itens do alcance de seu bebê.

* Tenha certeza de que materiais de limpeza, remédios e vitaminas estão trancados e longe do bebê. Tire plantas venenosas do alcance.

* Considere a compra de cortinas ou persianas sem cordas para evitar que crianças menores corram o risco de estrangulamento.

* Nunca deixe as crianças, sem vigilância, próximas a pias, vasos sanitários, banheiras, baldes e recipientes com água. Esvazie-os logo depois de usá-los. Guarde baldes e recipientes de cabeça para baixo.

* A maioria das queimaduras com bebês, especialmente entre as idades de seis meses a dois anos, são causadas por comidas quentes e líquidos derramados na cozinha. A água quente da pia e da banheira é também responsável por muitas queimaduras em crianças; essas tendem a ser mais graves e cobrem uma porção maior do corpo do que as ocasionadas por outros líquidos quentes

* Sempre teste a temperatura da água do banho, usando o dorso da mão ou o cotovelo, movimentando a água de um lado para o outro.

* Evite carregar comidas ou bebidas quentes próximas de seu bebê.

* Não use toalha comprida na mesa. O bebê pode puxá-la e derrubar utensílios e líquidos quentes.

* Não use andador com rodas, prefira o cercado (chiqueirinho).

* Instale telas ou grades nas janelas e sacadas. Nunca coloque berços ou outros móveis próximos de uma janela.

* Procure adquirir móveis com pontas arredondadas ou considere o uso de pontas de silicone (protetores de quinas) vendidas em lojas especializadas de bebê. Evite móveis com vidro ou outro material que possa quebrar e cortar.

* Mantenha uma mão em seu bebê enquanto você troca as fraldas. Não deixe seu bebê sozinho em mesas, camas ou outros móveis.

* Em uma colisão, uma cadeirinha de segurança instalada e usada corretamente reduz em 71% o risco de um bebê morrer. Entretanto, é estimado que a maioria das crianças está sendo transportada no carro desprotegida ou de forma incorreta. Use a cadeirinha em todas as viagens, desde a saída da maternidade. Bebês devem viajar no bebê-conforto, instalado de costas para o movimento do veículo, até completarem um ano de idade e pesarem pelo menos 9 Kg. Nunca coloque a criança no banco da frente de um carro.

Envenenamento (intoxicação)
A exploração do espaço é uma atividade importante para o desenvolvimento infantil. Colocar objetos na boca, tentar pegar frascos com líquidos coloridos são comportamentos característicos das crianças, mas isso também pode colocá-la em grande risco de envenenamento e intoxicação não intencional. Segundo Ministério da Saúde, em 2005, 5.299 crianças de até 14 anos foram hospitalizadas vítimas de intoxicação;

O envenenamento é a quinta causa de hospitalização por acidentes de crianças de 0 a 4 anos e de 10 a 14 anos.Quando exposta ao veneno, a criança sofre conseqüências mais sérias comparando-se com um adulto, pois possui uma estrutural corporal menor e seu metabolismo é rápido. Além disso, seu organismo é menos capaz de lidar com toxinas químicas.

Como proteger uma criança de um envenenamento (intoxicação)
* Guarde todos os produtos de higiene e limpeza e medicamentos trancados, fora da vista e do alcance das crianças;
* Mantenha os produtos em suas embalagens originais. Nunca coloque um produto tóxico em outra embalagem que não a sua. Poderá ser confundido com algo sem perigo;
* Saiba quais produtos domésticos são tóxicos. Produtos comuns como enxaguantes bucais podem ser nocivos se a criança engolir em grande quantidade;

* Dê preferência a embalagens de segurança. Tampas de segurança não garantem que a criança não abra a embalagem, mas podem dificultar bastante, a tempo que alguém intervenha;

* Nunca deixe produtos venenosos, sem atenção enquanto os usa.

* Não crie novas soluções de limpeza misturando diferentes produtos designados para outro fim. Esta nova mistura pode ser nociva;

* Sempre leia os rótulos e bulas, siga corretamente as instruções para dar remédios às crianças, baseado no peso e idade, e use apenas o medidor que acompanha as embalagens de medicamentos infantis;

* Nunca se refira a um medicamento como doce. Isto pode levar a criança a pensar que não é perigoso ou que é agradável de comer. Como as crianças tendem a imitar os adultos, evite tomar medicamentos na frente delas;

* Saiba quais plantas dentro e ao redor de sua casa são venenosas, remova-as ou deixe-as inacessíveis para as crianças. Veja quais os vegetais tóxicos mais comuns;

* Quando adquirir um brinquedo para a criança, certifique-se que ele é atóxico, ou seja, não contém componentes tóxicos;

* Jogue fora medicamentos com data de validade vencida e outros venenos potenciais. Procure em sua garagem, porão e outras áreas de armazenamento por produtos de limpeza ou de trabalho que você não utiliza e desfaça-se deles;

* Mantenha telefones de emergência próximos aos aparelhos de telefone de sua casa. Peça para os avós, parentes e amigos fazerem o mesmo;

* Instale detectores de fumaça em sua casa. Se o alarme soar, deixe a casa imediatamente e ligue para o departamento de bombeiros ou serviço de emergência médica;

* Em caso de intoxicação, entre em contato imediatamente com o pronto-socorro ou Centro de
Controle de Toxologia de sua cidade para receber orientações adequadas.

* Crianças com até dois anos de idade correm maior risco de um envenenamento não intencional. Produtos de limpeza e medicamentos são riscos significantes. Os bebês também podem se envenenar respirando a fumaça de cigarros.

Servico:
ONG CRIANÇA SEGURA
Av. Barbosa Lima, 149 - Bairro do Recife Antigo - PE
Tel: (81) 3424 9779

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

SAÚDE

TRATAMENTO VERDE

Fitomedicina toma fôlego e é cada vez mais bem vista pelos brasileiros

Você faria uso de algum medicamento fitoterápico, caso fosse receitado pelo seu médico? A maioria dos brasileiros diria que sim. Representando cerca de 15% do capital da indústria farmacêutica mundial, a fitoterapia prova que está em plena expansão. Segundo o Instituto Brasileiro de Plantas Medicinais (IBPM), a quantidade de farmácias de manipulação foi ampliada em 73% nos últimos anos. Com crescimento anual de 10%, a previsão é de que, até 2010, o setor represente entre 8% e 10% do mercado farmacêutico no mundo, avançando em direção ao tratamento de doenças complexas.

Considerada a precursora da medicina moderna, a fitoterapia existe há mais de três mil anos e já foi receitada por muitas avós, mas só agora parece tomar fôlego. Esse crescimento é o reflexo do aprimoramento das pesquisas científicas, especialmente nas universidades, que passaram a investigar os componentes químicos das plantas, além de seus efeitos terapêuticos e toxicológicos. “A prescrição de medicamentos fitoterápicos era muito tímida até pouco tempo. Hoje, vários especialistas indicam o tratamento”, observa a engenheira química e empresária Georgia Vasconcelos (foto).

No último evento da Associação Médica Brasileira de Fitomedicina (Sobrafito), o IV Congresso Brasileiro de Fitomedicina, que aconteceu no mês de novembro, em São Paulo, profissionais de todo o país reuniram-se com o objetivo de levar à frente a implementação da fitoterapia no Brasil, promovendo uma reflexão sobre as reais possibilidades de acesso da população brasileira aos fitomedicamentos.

“Temos assistido o êxito de diversas áreas da saúde através dos benefícios dos fitomedicamentos. A preservação da saúde da mulher, da criança e do idoso são alguns exemplos”, diz a engenheira química, alertando para a importância da prescrição deste tipo de medicamento. “No congresso, discutimos vários artigos científicos que relatam a ação dos fitoterápicos sobre os sistemas nervoso, cardiovascular e respiratório, na gastroenterologia, na ginecologia e, ainda, na urologia”, afirma a engenheira química, ressaltando: “defendemos a fitomedicina científica, baseada em estudos, do mesmo modo que se faz com todo e qualquer medicamento no mercado”.

Chá verde, ginko biloba, carqueja, confrei e espinheira santa são alguns dos fitoterápicos mais conhecidos, mas frequentemente são encontrados novos extratos com benefícios comprovados e poucos efeitos adversos. Entre as mais recentes descobertas, a cranberry, que previne infecções urinárias, o panax ginseng, que funciona como estimulante sexual e combate o estressee físico e mental, a caralluma fimbriata e o slendesta, que aumentam a saciedade e promovem o emagrecimento.

Engana-se quem pensa que o tratamento fitoterápico é feito apenas com partes da planta desidratada, por meio de chás e emplastos. “Hoje encontramos medicamentos fitoterápicos em diversas formas farmacêuticas", finaliza Georgia.

Serviço:
Georgia Vasconcelos - Engenheira Química e Fitoterapeuta
Contato: (81) 3326.7988

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

BEM VIVER O BEM

POUSADA E ABRIGO FILHOS DE DEUS

Em 1978, aos 28 anos de idade, Maria Helena Clemente dos Anjos começou a sentir fortes dores e inchaço na perna direita. Fez todos os exames e recebeu um diagnóstico não muito preciso de um possível câncer linfático. Procurou se tratar no Rio de Janeiro e depois em São Paulo, onde, mesmo após um ano e meio de idas e vindas dos consultórios e hospitais, não ouviu conclusão definitiva a respeito da doença que lhe afligia, tendo os médicos a desenganado. "Eles me condenaram a uma vida de invalidez e inércia total", recorda Helena, que, de volta ao Recife, pensou até em suicídio.

Superada essa fase, Helena dos Anjos resolveu transformar o próprio sofrimento em dedicação aos doentes e necessitados, aderindo ao trabalho voluntário. "Deus me tocou para que eu sentisse vontade de viver e realizasse a minha missão. Passei a ser útil e preenchi o vazio que sentia", conta. Inicialmente, Helena trabalhou cuidando de crianças no Pronto Socorro do Arruda. Nessa época, também fazia campanha de arrecadação de alimentos no comércio do bairro para distribuir com as mães que acompanhavam os filhos. Numa outra ocasião, na Santa Casa de Misericórdia, viu um paciente desmaiar de fome. "Assisti a várias cenas de miséria e desespero nessas passagens pelos hospitais", lembra.

A partir de então, Helena se motivou a tomar uma iniciativa mais concreta em favor dessas pessoas. Mesmo contra a opinião da família, passou a hospedá-las em sua própria casa, fundando, já em 1994, a Pousada Interiorana Cristã, hoje chamada de Pousada e Abrigo Filhos de Deus. Abrigo para os doentes pobres que vêm do interior em busca de tratamento e não têm onde ficar, a pousada é o fruto do exercício de fé, abnegação, esperança e solidariedade de sua fundadora, cuja história de vida merece, no mínimo, admiração.Na pousada, os hóspedes têm cinco refeições diárias garantidas (café da manhã, almoço, jantar e dois lanches), além de atividades como leitura do Evangelho, cultos cristãos e festas nas datas comemorativas. De acordo com D. Helena, quando a casa está farta, os doentes ainda ganham uma cesta básica na volta para suas cidades.

A satisfação pelo sentimento do dever cumprido Helena expressa dizendo: "Essa é a família que recebi de presente, o meu mundo". Quanto às pessoas interessadas em contribuir: "a ajuda material apenas não é o bastante. O fundamental é um gesto de carinho e uma palavra amiga".

A Pousada e Abrido Filhos de Deus aceita todo tipo de doação
Pousada e Abrigo Filhos de Deus
End. Rua Rocha Pita 94 e 108, Santo Amaro, Recife - PE
Fone: (81) 3221.9801
Responsável: Maria Helena Clemente dos Anjos

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

SAÚDE

O PODER DA ACUPUNTURA PARA O CORPO E MENTE

Reconhecida como especialidade médica em 1995, a Acupuntura vem ganhando destaque junto à medicina tradicional. A técnica advinda da medicina tradicional chinesa exige do acunpunturista a elaboração de diagnóstico, prognóstico e procedimento terapêutico invasivo.
Segundo o acunpunturista mineiro Dr. Sílvio Guimarães que está atendendo no Espaço Holístico Saúde Integral em Boa Viagem, a técnica pode ser compreendida como um conjunto de procedimentos terapêuticos que buscam introduzir nos pacientes determinados estímulos em certos lugares anatomicamente definidos."Ela busca equilibrar o organismo através da inserção, em pontos específicos da pele através agulhas especiais", esclarece o acunpunturista.

Por ter surgido há mais de seis mil anos e ter se espalhado por muitos países da Ásia, a acupuntura segue a visão dos orientais. Estes acreditam que os seres vivos são regidos por dois pólos opostos de uma mesma energia: o yin e o yang, e a partir do momento que ocorre o desequilíbrio dessa energia vital, são originadas as doenças."A função da acupuntura é, o restabelecimento dessa energia, que é encaminhada na superfície do corpo, através de canais subcutâneos chamados de meridianos", afirma Dr. Sílvio Guimarães.

Segundo o acunpunturista, os efeitos proporcionados pela acupuntura vêm justamente dessa estimulação feita em pequenos "buraquinhos" (pontos), que correspondem à energia gerada pelos órgãos do corpo. Justamente através desse caminho da harmonização do físico e da mente, é que se entra em cena os benefícios estéticos, a exemplo da vitalidade e o bem-estar que revelam, acima de tudo, a importância de se compreender as necessidades do corpo. "O sono, a alimentação, a exposição ao sol são algumas das formas de equilibrarmos nossas energias, e a função da acupuntura é também apontar o que falta em nosso organismo para seu bom funcionamento", destaca Dr. Sílvio Guimarães.

Duração

O tratamento e o número de sessões é determinado de acordo com a necessidade de cada paciente. Segundo Dr Sílvio Guimarães, normalmente indica-se entre duas a três sessões por semana, sendo possível ver algum resultado na quinta sessão. O acunpunturista mineiro esclarece que o resultado do tratamento é individualizado porque é necessário levar em conta as alterações físicas e emocionais de cada paciente. "Em média, a duração e a freqüência do tratamento dependem do diagnóstico e do tempo de evolução da doença. Quanto mais recente a patologia, mais rápido o resultado", reforça o acunpunturista.

Segurança

Desde que realizada por médicos capacitados, a acupuntura é um procedimento confiável e desprovido de efeitos colaterais, e algumas reações adversas estão em geral associadas à má formação de quem a pratica. É importante ter em mente que embora a acupuntura esteja livre das dependências e dos efeitos colaterais associados ao uso dos medicamentos, a mesma constitui um procedimento invasivo e que exige conhecimentos de anatomia topográfica, fisiologia e, sobretudo clínica médica. "E necessário o profissional ter uma visão ampla sobre os procedimentos corretos dentro desta importante especialidade médica", finaliza Dr. Sílvio Guimarães.

Serviço
Espaço Holístico Saúde Integral
Empresarial San Marino -Av. Domingos Ferreira - Sala 107
Boa Viagem/Recife – PE
Fone: (081) 3325.2270

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

SEXO E SAÚDE

HIGIENE ÍNTIMA

Reserve alguns momentos diários para cuidar desta região tão delicada.
Os órgãos genitais da mulher são a vagina e a vulva. Uma higiene íntima adequada é muito importante para manter os órgãos femininos livres de infecções. O interior da vagina é habitado por centenas de microorganismos que formam a flora vaginal. A função destes microorganismos é manter o equilíbrio com as bactérias e fungos e defender a vagina de infecções.

A vaginite está entre as principais queixas nos consultórios ginecológicos, elas se caracterizam por processos infecciosos ou inflamatórios nos órgãos genitais. São simples, mas desencadeiam infecções gravíssimas que podem causar complicações na gravidez, no parto e até problemas irreversíveis de saúde como esterilidade. Por isso devem ser tratadas sempre com orientação médica.

As vaginites nem sempre são contraídas por ato sexual. As causadas por infecções são 90% dos casos e atingem mulheres na fase reprodutiva e as não-infecciosas atingem principalmente crianças e mulheres idosas.

Mas o que podemos fazer para termos uma boa higiene íntima?
Durante o banho faça uma boa limpeza na vulva, se possível com um sabonete líquido íntimo. Sempre que urinar ou evacuar, o ideal é fazer uma limpeza usando uma pequena ducha e depois secar o local com papel higiênico, se você não tiver como utilizar a ducha, limpe com papel na direção da vulva para o ânus, nunca ao contrário. Evite o uso de cremes, loções, talcos e perfumes na região, eles podem irritar a pele e não foram feitos para auxiliar na higiene vaginal. Evite usar calcinhas sintéticas, roupas muito apertadas e protetores diários de calcinhas

Durante o Verão a Higiene Íntima merece cuidados especiais
Calor, biquíni molhado, banhos de piscina e mar agridem a região genital feminina. O ideal é ficar atenta a cuidados que mantenham uma higiene íntima adequada.

A flora vaginal é composta de lactobacilos que produzem ácidos naturais, que impedem o acúmulo de fungos e bactérias na mucosa vaginal. No verão, a transpiração aumenta o fluxo normal, de 3 ml de secreção vaginal por hora, obrigando os lactobacilos a trabalharem mais rápido para reporem a acidez.

Os produtos específicos para higine íntima contém em suas fórmulas substâncias que ajudam a preservar a acidez natural da vagina. Por isso é bom evitar o uso de sabonetes comuns, cremosos ou que contenham hidratantes nessa região do corpo, prefira o uso de sabonetes vaginais.

Dicas:
* Use roupas leves e confortáveis
* Dê preferência por calcinhas de algodão
* Guarde as roupas íntimas em ambiente seco e arejado
* Evite roupas apertadas e tecidos sintéticos
* Atenção ao uso de protetores íntimos diários, eles aquecem e abafam a região genital
* Não fique muito tempo com biquíni ou maiô molhado
* Lave suas calcinhas, maiôs e biquínis com sabão neutro e deixe secar em local arejado

ATENÇÃO
Procure seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis neste Blog possuem apenas caráter educativo.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

EVENTO

PALESTRA REFLEXOLOGIA X STRESS

A Escola de Enfermagem Israel promove no próximo dia 09.01.09 palestra sobre o tema "Stress e suas Conseqüências". O objetivo do encontro é mostrar ao público presente as maneiras de combater o stress e também esclarecer aos presentes o papel da Reflexologia dentro do campo do Stress. A palestra que começa às 17h30 será ministrada pela enfermeira Vivian Silva. Quem se interessar em participar da palestra basta pagar R$4,00 e 1 KG de alimento (que será revertido para uma instituição carente).

Serviço:
Escola Profissionalizante de Enfermagem Israel
Av. Norte, 5049, Casa Amarela - Recife, PE.
Fone: (081) 3442.5906/3442.0907
www.escolaisrael.com.br
MISS PERNAMBUCO NO "BBB9"

A pernambucana é a atual Miss Pernambuco e também foi eleita a Musa do Sport em 2007.

"Estou recebendo ligações desde as 10h”, desabafa exaurido Antônio Carlos Fernandes da Costa, 58 anos, contador e pai de Michelle Fernandes da Costa, uma das selecionadas para a nona edição do “Big Brother Brasil”, que estreia na próxima terça-feira (13).

O último dia em que se encontrou com a filha – atual Miss Pernambuco foi na segunda-feira (5), antes de ela ser levada pela equipe da TV Globo diretamente para o confinamento.

“Ela já tinha se inscrito no 'BBB' no ano passado. Foi para o Rio, fez todos os testes e ficou de malas prontas esperando, mas acabou não sendo escolhida. Agora ela estava bem mais forte, com mais fé”, conta o pai, ex-evangélico, que apoiou a filha lendo trechos da Bíblia. “Conheço o poder de Deus”, garante.

Veja as medidas de Michelle
Altura - 1,74 m
Peso - 58 kg
Quadril - 93 cm
Busto - 84 cm
Cintura - 61 cm

Segundo Costa, aos 23 anos Michelle “faz as coisas dela e só conta depois, mas desde muito nova tem essa mentalidade voltada para o mundo da arte e da beleza”. Estudante de Direito, faz estágio e trabalha como modelo para bancar a faculdade. “Ela sempre me diz: ‘pai, mulher bonita tem aos montes por aí’. Mas eu acredito muito no potencial dela. A Michelle é muito cabeça, centrada. Acredito que ela deva passar um bom tempo dentro da casa.”

Quem não gostou nada da idéia foi o namorado da bela, Augusto. “Ele ficou meio assim, mas ela tentou tranquilizá-lo”, conta o pai, afirmando que o relacionamento é recente e tem cerca de três meses.

Sorte ou azar do moço, Costa garante que Michelle se dá bem com todo mundo e que não tem problemas de convivência. "Se faturar a bolada de R$ 1 milhão, ela deve buscar uma vida diferente. É muito esforçada, dedicada. Quer ter sua casa, seu carro. Ela sabe bem o que faz".

NUTRIÇÃO E SAÚDE

DICAS DE ALIMENTAÇÃO NO VERÃO

As estações mais quentes causam mudanças no comportamento das pessoas. A busca pela melhora da forma física e a alteração nos hábitos alimentares são comuns nesta época do ano, com a chegada do verão. Neste calor, não podemos descuidar da alimentação, que requer cuidados essenciais para nos sentirmos mais dispostos, mantendo a forma com saúde.

Algumas pessoas podem se sentir mais indispostas para comer, no verão, devido à própria temperatura. Essa indisposição pode vir também por alimentação inadequada, que seria ficar sem se alimentar por muitas horas, pular o café da manhã, ingerir alimentos pesados e gordurosos e esquecer de se hidratar durante todo o dia. No inverno há a necessidade de ingerir alimentos mais energéticos para manter a temperatura corporal. Já no verão, o corpo pede um consumo maior de líquidos para compensar as perdas de água e sais minerais decorrentes da transpiração. Por isso é preciso fazer algumas adaptações em nossos hábitos alimentares.

No verão ocorre uma diminuição do metabolismo basal, por isso a quantidade calórica ingerida deve ser reduzida, para não corrermos risco de ganhar peso nessa época do ano. Com o aumento da temperatura, nosso organismo perde mais água e sais minerais através do suor, então se torna mais importante o cuidado com a hidratação. A ingestão de líquidos deve ser freqüente durante todo o dia. O ideal seria não esperar que a sede apareça, já que essa sensação é um sinal de desidratação.

É recomendável um cuidado maior no verão com a hidratação das crianças e idosos. Deve-se oferecer água em pequenos volumes, fresca, em uma temperatura agradável, mesmo que a criança não peça. E tente fazer com que ela consuma sucos naturais no lugar de refrigerantes. Para nos hidratarmos bem, as melhores fontes, são a água, os sucos naturais de frutas e vegetais, os chás e a água de coco é uma ótima opção.

Dicas de alimentação no Verão
* Alimentos indicados: frutas, verduras, legumes, folhas verdes, cereais integrais, pães integrais, carnes magras, queijos menos gordurosos, sobremesas à base de frutas e muitos líquidos. Faça refeições mais leves.

* Alimentos a serem evitados: alimentos gordurosos (carnes gordas, queijos gordurosos, molhos à base de creme de leite, maionese). Evitar frituras e maneirar na bebidas alcoólicas. Pois no verão nosso organismo fica mais sensível aos condimentos fortes e às gorduras, podendo causar desconforto e mal estar.

* Fracione as refeições diárias (coma mais vezes, em menor quantidade).

* Se for comer um sanduíche, escolha os que são feitos com carnes magras, como um peito de peru, frango e queijos magros (ricota, cottage). As carnes magras possibilitam uma digestão melhor, evitando o desconforto intestinal.

* Ingestão de líquidos devem ser freqüente (água, sucos naturais, chás e água de coco).

* Prefira os sorvetes ou picolés à base de água e polpa de frutas, pois são os menos calóricos.

* Cuidado com os alimentos feitos com leite, gordura e ovos na sua preparação. Necessitam de refrigeração adequada, pois o calor aumenta a proliferação de bactérias que podem causar intoxicação alimentar.

* Evitar alimentar em locais que não apresentam boas condições de higiene.

* Seja criterioso ao escolher locais para consumir frutos do mar e pescados. Procure saber a procedência dos alimentos.

* Não consumir de forma alguma alimentos perecíveis que ficam expostos à temperatura ambiente.

Serviço:
Joyce Moraes - Nutricionista Clínica Funcional
Contato: (81) 3461.3797