segunda-feira, 29 de setembro de 2008

ESTÉTICA

Cirurgia Plástica para jovens

Dumbo, Pinóquio e Olívia Palito são personagens de desenhos infantis que podem se tornar o pesadelo de muitos adolescentes. Estes são os apelidos mais comuns para quem tem orelhas em abano, o nariz mais avantajado e para as magrelas. Principalmente na época do colégio, estes defeitos são motivos de brincadeiras um tanto cruéis, que acabam abalando a auto-estima numa das fases mais confusas da vida, a adolescência.

Numa época em que a ditadura da beleza é imposta na moda, em revistas e na televisão, a cirurgia plástica surge como alternativa mágica para corrigir o que a natureza não fez direito. A evolução das técnicas, assim como a multiplicação de clínicas e famosos que recorrem ao procedimento facilitou muito o acesso à cirurgia. Mas mesmo com toda essa visibilidade, é preciso ter o pé no chão e respeitar os limites do corpo antes de uma intervenção desse tipo.

Requisitadas
Uma das mais procuradas pelos adolescentes, a otoplastia (redução das orelhas em abano) é a menos invasiva e pode ser feita a partir dos quatro anos de idade. A rinoplastia (correção no nariz) é recomendada apenas após os 16 anos, quando o crescimento está estabilizado. Para eles, não poder usar boné ou tirar fotos de perfil é uma verdadeira tortura. A cartilagem dessas partes do corpo continua crescendo ao longo da vida, mas isso não altera o resultado da cirurgia.

Algumas cirurgias não são simplesmente estéticas, como a ginecomastia (redução das mamas masculinas). O desenvolvimento acentuado das glândulas pode acontecer durante a puberdade por causa das variações hormonais e a cirurgia deve ser feita para diminuir o risco de tumores.

Nas mulheres, a redução dos seios acontece quando o peso ocasiona problemas de postura. Procedimentos estéticos menores, como preenchimento labial (que deixam os lábios carnudos à la Angelina Jolie) e ocidentalização das pálpebras (para arredondar os olhos dos descendentes de orientais) também exigem que o paciente seja maior de idade.

Imediatismo
Quando procuram o consultório médico, os adolescentes já sabem exatamente o que querem mudar. Alguns abrem mão da tradicional festa de 15 anos ou da sonhada viagem à Disney para saciar o ego e deixar de ser motivo de piada. Muitos pais apóiam os filhos nesta empreitada, outros apenas o fazem para não ter um rebelde dentro de casa.

A verdade é que a cirurgia plástica satisfaz a ansiedade dos adolescentes. A rapidez do resultado faz com que as dores e os hematomas do pós-operatório sejam facilmente superados. Hábitos de vida saudáveis, como uma dieta equilibrada e atividade física regular são substituídos pelo bisturi.

Se por um lado uma boa imagem facilita o convívio social e eleva a auto-estima, por outro, não precisar encarar os próprios defeitos no espelho acaba retardando o desenvolvimento emocional numa fase em que a personalidade ainda está em formação.

Serviço:
Clínica de cirurgia Plástica Perseu Lemos
Rua Lins Petit, 289 - Ilha do Leite - Recife/PE
Fone: 3222-2089

IMPORTANTE
Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis neste blog possuem apenas caráter educativo.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

SAÚDE

Saiba tudo sobre os esteróides anabolizantes

O uso de drogas para aumentar a massa muscular e/ou melhorar a performance esportiva tem sido amplamente discutido e condenado nos meios de comunicação, e é sempre tema de intensos debates. Apesar disso, é surpreendente ver como pouquíssimas pessoas sabem realmente o que são essas drogas, o que elas fazem e quais são os verdadeiros efeitos colaterais.

Saiba o que são os esteróides anabólicos
Resumindo podemos dizer que os esteróides anabólicos (conhecidos também como bombas ou anabolizantes) são material sintético similar à testosterona. A testosterona apesar de ser um "hormônio masculino" é encontrado tanto em homens como em mulheres, ainda que a quantidade de testosterona no corpo das mulheres seja muito menor.

A testosterona tem 2 efeitos diferentes no corpo: um efeito androgênico, que influencia as características sexuais masculinas tais como o aumento do pênis e dos testículos, mudanças na voz, crescimento de pêlos na face, axila e áreas genitais, e aumento da agressividade; e um efeito anabólico, que influencia coisas como aumento da massa muscular, força, velocidade de recuperação dos músculos e controle dos níveis de gordura corporal.

Os esteróides anabólicos foram projetados de tal forma que se diferenciem da testosterona pelo aumento do efeito anabólico e diminuição do efeito androgênico. O problema é que não existe ainda um esteróide perfeito, que seja 100% anabólico e 0% androgênico. Em todos eles encontramos propriedades androgênicas e anabólicas.

Conheça os efeitos dos Esteróides Anabólicos
Dentre outras coisas, os esteróides anabólicos trazem as seguintes consequências para o corpo:

* Aumentam a capacidade do corpo de utilizar a proteína, permitindo ao atleta treinar com maior intensidade sem perder massa muscular;

* Aumentam a capacidade do corpo de desenvolver massa muscular;

* Aumentam a capacidade do corpo ganhar força;

* Aumentam a capacidade do corpo desenvolver resistência;

* Atuam como anti-inflamatórios, ajudando tanto a prevenir como a curar machucados.

Contudo, o simples uso dessas drogas não vai automaticamente produzir os efeitos listados acima. Nenhum desses benefícios é alcançado sem um regime de treinos duros e consistentes e uma dieta apropriada.

Contrário à crença da maioria das pessoas, você não vai ficar maior ou mais forte simplesmente por fazer uso de esteróides anabólicos. O que acontece é que os esteróides anabólicos permitem que as pessoas malhem de forma mais intensa, durante mais tempo e mais frequentemente, sem entrarem em estado de overtraining.

Então na verdade os esteróides anabólicos somente criam as condições necessárias para que as pessoas possam se beneficiar desse regime de treinos mais intensos.

Conheça os perigos e efeitos colaterais dos esteróides
Os esteróides anabólicos são medicamentos potentes, com um grande número de possíveis efeitos colaterais, que dentre os quais podemos citar:

* Calvície;
* Hipertrofia da próstata;
* Acne;
* Agressividade;
* Hipertensão;
* Limitação do Crescimento (os esteróides anabólicos podem interromper o processo de crescimento);
* Aumento do Colesterol;
* Virilização em Mulheres (crescimento de pêlos na face, engrossamento da voz, hipertrofia do clitóris e amenorréia);
* Ginecomastia (excessivo desenvolvimento dos mamilos em indivíduos do sexo masculino);
* Dores de Cabeça;
* Impotência e Esterilidade;
* Insônia;
* Hepatotoxidade (quase todos os esteróides causam lesão no fígado);
* Problemas de Tendões e Ligamentos (muitas vezes o aumento da força é desproporcional à capacidade de adaptação dos tendões e ligamentos)

Fator de Perigo dos Esteróides
O grau de perigo que o esteróide representa vai depender dos fatores abaixo:

* A forma em que eles são tomados (oral x injetável);
* Que dosagens são usadas;
* Por quanto tempo eles são usados;
* A idade, o sexo e o estado de saúde do usuário.

ATENÇÃO
Procure seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis neste Blog possuem apenas caráter educativo.

domingo, 14 de setembro de 2008

terça-feira, 9 de setembro de 2008

BEBÊ

Você conhece bem o seu bebê?

Nós, adultos, e não só os bebês, mudamos de humor, de acordo com as circunstâncias. Há dias em que acordamos cantando, e outros em que fica difícil até sair da cama. Mas, temos um comportamento padrão, de acordo com nossa personalidade, que nos diferencia das outras pessoas.Veja abaixo em qual dos perfis seu bebê se encaixa.

É importante lembrar que nenéns não nascem prontos, mas vão se constituindo na relação com os outros, especialmente com a mãe. Assim, filhos de mulheres calmas costumam ser mais calmos; mães mais agitadas e tensas costumam ter bebês que reagem na mesma intensidade. Se você é assim, procure delegar funções para o papai, a vovó; enfim, alguém mais tranqüilo.E, se não está satisfeita com o comportamento do seu filho, procure, antes de tentar modificá-lo, modificar o ambiente que o cerca. E, quem sabe, até você mesma?

EXPLOSIVO
Paciência é uma palavra que não lhe sai da cabeça. Afinal, o bebê reage, fortemente, a tudo o que acontece ao seu redor. Quando sente fome, grita. Se alguém o assusta ou desagrada, parece que o mundo vem abaixo. Além disto, custa a pegar no sono, dorme pouco e chora com extrema facilidade.

O que fazer
* Não fale alto com ele.

* Abaixe o volume da TV e não permita que as outras crianças façam muito barulho, sobretudo na hora em que o bebê parece cansado e tenta adormecer.

* Evite tirá-lo do berço ou colocá-lo na banheira, com movimentos apressados e bruscos. Sua criança precisa de tranqüilidade.

* Experimente fazê-lo ouvir uma musiquinha suave. Este tipo de som acalma, mas não serve para aplacar a fúria de um bebê irritado, que já está aos gritos. Neste caso, a melodia não será sequer notada, virando um barulho a mais.

* Depois do banho, toque em sua pele. Massageie as costas, a região atrás das orelhas e as plantas dos pés. O efeito é super-relaxante.

SIMPÁTICO
Está sempre de bom humor, não estranha ninguém. Tem um apetite invejável, dorme como os anjos, raramente se mostra irritado na hora da higiene ou quando é preciso trocar a roupa. É o bebê-sorriso que não dá trabalho e todos elogiam.

O que fazer
* Brinque, converse, estimule a curiosidade de seu filho, para que ele se desenvolva plenamente. E não somente para que seduza a família com suas gracinhas.

* Não deixe de repreendê-lo quando for necessário. Por mais simpático e fácil de conviver que seja, ele precisa de limites para crescer. Ainda que isso custe algumas lágrimas...

* Redobre a atenção com certos desconfortos, como fraldas molhadas, hora de comer ou cansaço. O bebê é tolerante, não se queixa por pouca coisa. Por isso mesmo, você deve estar sempre de olho na rotina.

* Ele quer liberdade e espaço para se movimentar. Deixe que isso aconteça, mas abasteça a casa de dispositivos de segurança, como grades, protetores de tomadas e de portas. Bebês independentes e silenciosos, muitas vezes, aprontam suas artes, sem serem notados.

DORMINHOCO

É do tipo encheu a barriguinha, dormiu. Acorda, implacavelmente, quando quer mamar. Depois, vira para o lado e...pronto! A família já anda preocupada, achando que talvez ele exagere nas horas de sono, que deve ficar mais tempo acordado. Parece até que não está ligando para o que acontece ao redor, o que não é verdade. Espere só para ver!.

O que fazer
* Verifique se o quarto tem sempre as cortinas fechadas, ficando em permanente penumbra. Desta forma, funciona como uma espécie de convite ao sono.

* Troque a roupinha dele, antes da mamada, para que vá despertando suavemente.

* Não faça intervalos longos entre as mamadas. Assim, ele ficará mais tempo acordado. Aproveite estes momentos para conversar bastante com o bebê.

* Quando seu filho estiver desperto, experimente circular com ele pela casa, mostrando tudo que tem cor, movimento e que, portanto, pode agradar. Faz tempo bom? Leve-o até a rua. O passeio pode ser bem divertido para quem anda descobrindo o mundo.

ATIVO
Dorme pouco, quase não cochila, durante o dia. Está o tempo todo de olhos bem abertos, atento, ligado. Não quer saber é de ficar sozinho, nem por um instante. Precisa, sempre, de alguém ao seu lado, brincando, contando histórias, cantando ou conversando com ele. A curiosidade insaciável parece ser a sua marca registrada.

O que fazer
* Pendure no berço móbiles (musicais ou não) de cores atraentes. Alguns brinquedinhos também podem distrai-lo, enquanto tem que esperar, por exemplo, pela hora de comer.

* Mantenha-o por perto, enquanto você arruma a casa ou vê o jornal da TV. Para ficar feliz, algumas vezes, basta ver e ouvir as vozes das pessoas queridas.

* Aos poucos, estabeleça uma certa rotina. Afinal, mesmo os bebês mais atentos e curiosos precisam de algumas sonecas durante o dia, principalmente a que vem depois do banho ou do almoço.

* Ele quer descobrir, experimentar, mexer, brincar. Brinque, ofereça estímulos suficientes, mas não exagere. Ou terá em casa uma criança excitada, nervosa e chorona. Quando se mostrar irritado, esfregando os olhinhos, é sinal de que a brincadeira acabou: está na hora de ir para a cama. Mesmo que você tenha chegado do trabalho há quinze minutos e esteja ávida por ficar se divertindo com seu filho.

TÍMIDO
No berçário, já era o mais calminho. Agora, que tem alguns meses, seu passatempo favorito é ficar no colo da mamãe ou do papai observando o que acontece em volta. Estender os bracinhos quando alguém oferece colo? Nem pensar! Este não é o tipo de bebê que se dispõe logo a desbravar o desconhecido. Avesso às aventuras, prefere, ainda, um porto seguro.

O que fazer
* Desde pequenino, respeite o direito que seu filho tem de não querer ir para o colo de pessoas estranhas. Precisa de um tempo para se acostumar com elas. Forçá-lo, jamais!

* Estimule o contato dele com crianças da mesma idade. Entre mordidas e brincadeiras, irão aprendendo a dividir e a conviver. É uma experiência riquíssima para os mais tímidos.

* Procure não superproteger, ao contrário, incentive as iniciativas. Afinal, tombos e arranhões não são o fim do mundo para este nosso explorador.

* Mostre ao bebê, sempre que possível, que o mundo é muito maior do que o colo da mamãe. Incentive-o a descobri-lo, a se aventurar um pouco. E, é claro, cada vez mais.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

SAÚDE

CUIDADO COM A SUA POSTURA

Se preocupar com a postura é uma atitude que promove a saúde, mantém o bem-estar e ajuda a combater muitas lesões posturais. A má postura leva inicialmente a dor e depois a uma deformidade que pode tornar-se irreversível, se não for tratada.

Existem três desvios na coluna que são: escoliose, cifose e lordose. Estes podem ser congênitos ou adquiridos. São problemas físicos que podem ser tratados conservadoramente com fisioterapia e/ou coletes, ou, quando o caso requer, com tratamento cirúrgico.

Para se ter uma postura correta é preciso praticar atividade física regularmente, corrigir sempre a própria postura nas atividades diárias domésticas e/ou profissionais, mantendo a coluna ereta o tempo todo.

Prevenção
Vale chamar a atenção para a postura ao andar ou ficar de pé. A dica é permanecer com a barriga rígida e ter a impressão que se tem um “ganchinho” no teto suspendendo a cabeça para o alto mantendo o queixo afastado do peito.

A posição sentada é a posição mais freqüentemente adotada pela maioria das pessoas nas atividades profissionais, domésticas e no lazer. Pessoas que passam longos períodos sentadas sofrem mais de dor nas costas do que pessoas que se movimentam mais. Desta forma, é importante considerar como ficamos sentados, que tipo de cadeiras utilizamos e o que podemos fazer para prevenir a dor nas costas.

Para se levantar, alguns cuidados também devem ser tomados: inclinar o corpo para frente sem tencionar os músculos do pescoço e costas, estender os joelhos enquanto leva a cabeça e o tronco para frente e para cima, até chegar à posição em pé.

Tratamento
O fisioterapeuta é o profissional capacitado para tratar da dor nas costas. O tratamento consiste não só em uma avaliação postural do paciente, como também o alívio da dor por meio de recursos físicos como manipulações, alongamentos, exercícios, massagem, calor, eletroterapia, crioterapia, biofeedback, etc., e através de um histórico fornecido pelo paciente determinar quais os fatores mecânicos que estão provocando a dor.

A partir dos dados da avaliação, o terapeuta vai traçar um programa de tratamento visando a melhora das condições físicas, funcionais e posturais do paciente. Uma avaliação cuidadosa do ambiente doméstico e do trabalho também faz parte do tratamento, juntamente com orientações quanto à ergonomia dos móveis e instrumentos de trabalho.

A análise dos padrões motores usados nas execuções das tarefas diárias e hábitos é importante para a reeducação motora, isto é, de como usar bem o corpo na prevenção de futuros traumas. Após o alívio da dor e das principais alterações físicas, o fisioterapeuta vai indicar as formas de condicionamento físico mais indicadas para o paciente, a fim de melhorar a sua aptidão física e assim, evitar novos episódios de dor nas costas.

IMPORTANTE
Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis neste blog possuem apenas caráter educativo.